Brasil e Mundo 

FGTS tem nova leva de saques nesta sexta-feira

A estação chuvosa propriamente dita ainda não começou, mas as precipitações de primavera já provocam transtornos na capital mineira. Mesmo com chuvas leves, embora persistentes – o volume máximo foi de 16mm nas regiões Oeste e Barreiro –, Belo Horizonte enfrentou problemas de trânsito e houve pelo menos três acidentes ontem. Um alerta para a estação das águas, que tem início para valer em outubro e vai até março, com previsão de chuvas mais significativas. E a ordem é monitorar os riscos e informar o maior número possível de pessoas sobre eles. Dos 82 pontos de alagamento destacados em 2015 pela Carta de Inundações de Belo Horizonte, a Prefeitura de Belo Horizonte listou nove considerados de alto risco e intensificou as ações de defesa civil nessas áreas, visando à preparação para o período (confira os pontos na tabela). Na última estação chuvosa, quatro pessoas morreram em Venda Nova, nos arredores da Avenida Vilarinho, em BH, por causa de alagamentos.

Enquanto obras de drenagem são contratadas para esses destinos e projetos ainda são elaborados, a estratégia é prevenir que a população circule pelas ruas que podem ser alagadas durante as tempestades. De acordo com o subsecretário municipal de Proteção e Defesa Civil, coronel Waldir Figueiredo Vieira, o monitoramento das chuvas e níveis dos córregos, os alertas e o isolamento das áreas de inundações poderão impedir tragédias, como as quatro mortes ocorridas no último período chuvoso. “Belo Horizonte nunca esteve tão bem preparada para evitar que mortes ocorram durante um período chuvoso”, afirma o coronel.

Além dos nove trechos de vias em situação mais crítica, foram criados pelos órgãos do sistema de defesa civil da capital mineira planos de contingência para outros 18 pontos da capital mineira também suscetíveis a esse tipo de desastre natural. “Com esse planejamento, os vários órgãos podem atuar preventivamente, fechando o tráfego e promovendo desvios e alertando a comunidade”, destaca o subsecretário. Para que possam funcionar, alguns desses pontos passam por simulados.

Apoio

A novidade deste ano é que serviços privados vão ajudar a emitir alertas de inundação para motoristas, passageiros e comunidade. O aplicativo de mapeamento de trânsito Waze, do grupo Google, por exemplo, vai alertar e desviar os usuários que têm rotas previstas para Belo horizonte para que se afastem de áreas que estão ameaçadas ou que já enfrentam um alagamento ou enxurradas, por exemplo. “Muitas vezes as pessoas ficam sabendo que temos uma enchente num ponto, mas quando tentam um caminho alternativo para desviar do problema, acabam indo parar num outro ponto de risco”, destaca o coronel Vieira.

Os passageiros e pessoas que os aguardam no Aeroporto Internacional de Confins receberão avisos sobre vias passando por alagamentos. Essa medida pretende alertar até 30 mil pessoas por dia. O mesmo se pretende com os informes que serão veiculados pelo metrô pela CBTU, podendo alcançar quase 200 mil pessoas por dia. As populações que vivem nas áreas de risco também estarão sujeitas a alertas pelas redes sociais da defesa civil.

O serviço nacional de alertas 4199 também envia, há três anos, mensagens de SMS para pessoas que moram em áreas ameaçadas ou que já enfrentam uma calamidade. Operadoras de TV a cabo também se comprometeram a propagar os alertas em suas programações para os assinantes. O monitoramento também está sendo incrementado. Auxiliando o radar meteorológico de Mateus Leme, na Grande BH, a prever a aproximação de perigos, funcionam 52 estações hidrometeorológicas capazes de verificar o aumento no volume dos córregos e ribeirões. Neste ano, as câmeras da BHTrans e da Guarda Civil Municipal também participarão do monitoramento e troca de informações com a transmissão da situação das ruas cobertas pelo sistema em tempo real.

Obras

O secretário municipal de Obras e Infraestrutura, Josué Valadão, prevê que neste ano não haja mais risco de problemas trazidos pelas chuvas no Tirol (Barreiro). “A bacia de contenção foi concluída com grande capacidade na região e receberá a água que provocava as inundações. No Bairro Liberdade, na Pampulha, a Bacia de Assis vai conter também as inundações que ocorriam na região e na do Bairro Jaraguá e Aeroporto da Pampulha. Na semana que vem, devemos concluir a bacia de contenção do Bairro das Indústrias, trazendo grande alívio para a drenagem do Arrudas na Avenida Tereza Cristina. A Prudente de Morais e a Francisco Sá estão tendo projetos de drenagem sendo produzidos. “A obra na Vilarinho prevê duas bacias de contenção no Córrego Lareira. Essa água toda se juntaria com a Vilarinho e as obras têm conclusão prevista para um ano. Alguns pontos precisam de desapropriações. Em vez de escoar mais rapidamente a água, nossa opção, agora, é retê-la água em bacias na Vilarinho”, explicou o secretário.

ACIDENTES A manhã de ontem foi tumultuada para os motoristas da capital mineira, marcada por chuva e diversos acidentes. Foram registrados pelo menos três acidentes. Na Avenida dos Andradas, próximo à Praça da Estação, houve colisão entre um ônibus uma moto. A batida causou engarrafamento de cerca de um quilômetro no sentido Centro. No túnel da Lagoinha, Região Nordeste de Belo Horizonte, o trânsito também ficou intenso devido ao engavetamento de quatro veículos no local, que ocorreu por volta de 7h30. Já na Avenida Antônio Carlos, altura do Bairro São José, na Região da Pampulha, a Polícia Militar registrou o choque entre um carro e uma motocicleta, o que provocou retenção nas proximidades da Avenida Abrahão Caram.

Quem gosta de frio já pode se preparar para guardar os casacos. A tendência é que a partir de hoje a chuva comece a enfraquecer e as zonas de calor voltem a atuar na capital. “Vai ocorrer chuva em pontos isolados até domingo, mas a partir de segunda-feira o dia volta a ficar quente”, prevê o meteorologista Cléber Souza, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Ontem, dia de chuva e frio, foi registrada a menor temperatura máxima do ano, com os termômetros alcançando apenas 18,4°C. “A menor umidade do ar ficou em 87%. Isso é muito bom porque estamos com cobertura de nuvens que não deixa o sol aquecer. Diminuiu o calor e melhorou a qualidade do ar”, explicou Cléber.


Previsão

De hoje até domingo, a mínima fica em 15°C. A temperatura máxima hoje ganha 7,6 graus em relação à ontem, podendo chegar aos 26°C. Amanhã a máxima fica em 28°C, e, no domingo, pode alcançar novamente os 30°C, dando abertura ao calor que vai voltar na próxima semana. Apesar disso, o meteorologista afirma que o resto do ano prevê mais chuvas significativas entre os meses de outubro, novembro e dezembro. “A primavera marca o início da época chuvosa. Em Belo Horizonte só choveu 35% da quantidade de chuva que se espera anualmente, mas os meses por vir podem suprir essa necessidade”, concluiu o meteorologista. *Estagiária sob supervisão da subeditora Rachel Botelho

Pontos de risco

Prefeitura de BH destaca nove pontos de alto risco de inundação

» Avenida Vilarinho com Rua Doutor Álvaro Camargos
» Avenida Heráclito Mourão de Miranda com Avenida Clóvis Salgado
» Avenida Bernardo Vasconcelos com Avenida Cristiano Machado
» Rua Pitangui com Avenida Silviano Brandão
» Avenida Cristiano Machado, entre os bairros Primeiro de Maio e Suzana, com Avenida Sebastião de Brito
» Avenida Tereza Cristina com Avenida Palestina
» Avenida Silva Lobo com Avenida Barão Homem de Melo
» Avenida Francisco Sá com Rua Erê
» Avenida Prudente de Morais com Rua Joaquim Murtinho
Fonte: PBH


Rodovias

Nas rodovias mineiras, pelo menos quatro acidentes dificultaram o tráfego. Na BR-040, o trecho conhecido como Gineta, perto de Sete Lagoas, Região Central de Minas, foi interditado em função da batida entre um ônibus e uma carreta carregada com leite, que ocorreu ainda no fim da tarde de ontem. O trânsito também ficou lento na BR-262, altura do município de Juatuba, por causa de uma colisão entre dois caminhões. Quem passava de manhã pelo entorno da rodovia MG-050 também enfrentou engarrafamento. A via foi totalmente fechada nos dois sentidos entre Betim e Juatuba, por conta da queda de bambus na pista. Em Nova Lima, um casal ficou ferido em um acidente envolvendo uma moto e um carro na Rua Bem-te-vi, depois do Viaduto da Mutuca. Um atropelamento no km 17 da MG-030, também em Nova Lima causou transtornos no trânsito.

Estado de Minas

Related posts

Leave a Comment