Paixão e futuro do Galo: Rubens Menin, dono da maior parceira do Atlético em projeto do estádio, explica ‘contribuição’ de R$ 110 mi

Paixão e futuro do Galo: Rubens Menin, dono da maior parceira do Atlético em projeto do estádio, explica ‘contribuição’ de R$ 110 mi

  • Post author:
  • Post category:Esporte

Na próxima segunda-feira, os conselheiros do Atlético decidirão se o projeto do estádio do clube terá ou não continuidade. Um deles é um dos principais parceiros do Galo na construção da nova arena. Além de ser representante do conselhoRubens Menin é presidente da MRV, empresa patrocinadora alvinegra que vai doar o terreno para a obra, avaliado em R$ 50 milhões, além de comprar os naming rights, pelo valor de R$ 60 milhões.

Em entrevista ao Superesportes, Menin afirma que não terá vantagens no estádio do Atlético por estar fazendo um grande investimento. A única aparição da empresa será no nome (Arena MRV), que será comprado.

“Não vai ter contrapartidas no estádio para a empresa. Vai ter apenas o nome da arena, que será Arena MRV, assim como tem em outros estádios, como o do Palmeiras. A gente não vai ter nenhuma regalia, estaremos pagando por isso. A MRV é parceira do Atlético, patrocinadora do clube e está ajudando com os naming rights e também com a doação do terreno”, disse.

Então qual o motivo de Menin investir todo esse dinheiro para algo em que ele não terá vantagens? A resposta é simples: o pensamento é fazer o Atléticoclube de seu coração, ainda maior no cenário nacional internacional.

“Esse estádio engrandece o futebol mineiro, principalmente o Atlético. Não temos terrenos perto do local do estádio. No Brasil, se pensa muito em tirar vantagem de qualquer ação. Sou parceiro do Atlético, atleticano e estamos fazendo isso para ajudar o clube, sem pensar em lucros próprios. O estádio vai mudar a vida de 7 milhões de pessoas. É nisso que pensamos, em fazer o Atlético ainda maior”.

Planejamento para evitar erros

O Atlético trabalhou nos últimos anos para montar um projeto de estádio que pudesse sustentar e dar continuidade. O planejamento foi feito para evitar erros. Há 42 anos na MRV, Menin é acostumado com a área da construção e sabe que mudanças de preços podem acontecer. Mas ele explica como o clube manterá o valor inicial da obra, de R$ 410 milhões, até o fim.

“Trabalhamos nisso há quatro anos. Vai ter seguro de obra, para não ter nenhum prejuízo. Trabalhamos para não ter mudança no projeto. Isso é o que encarece. Trabalhamos para não ter mudança nenhuma. Faço obra há 42 anos e é assim que se faz. As arenas da Copa foram projetos feitos de forma equivocada, o dinheiro gasto foi muito maior do que o planejado. É isso que acontece quando existem mudanças no projeto. A Arena MRV foi planejada com gente capacitada, acostumada a fazer isso”.

Confira abaixo outros pontos da entrevista de Menin e o projeto do estádio

Comparação com outras arenas

Vai ser a melhor arena do Brasil, com o projeto mais barato. Vai ser um valor muito menor do que foi investido nas arenas da Copa do Mundo. A MRV é do ramo da construção. Mesmo não participando das obras, sabemos as tecnologias necessárias para algo deste porte. Vamos auxiliar no que for necessário.

Dificuldade em vender camarotes?

Sabemos da dificuldade de venda de camarotes nas novas arenas do país. Mas, pelo estudo que foi feito, temos confiança de que todos os camarotes serão vendidos. São 36 camarotes e o Atlético terá lucro com eles. A MRV terá camarotes. Não sei quantos e isso será definido mais à frente.

Estado de Minas