Prefeitura inicia mais uma etapa das obras de captação de água

Prefeitura inicia mais uma etapa das obras de captação de água

  • Post author:
  • Post category:Cidade

A Prefeitura de Itabira iniciou na avenida João Soares da Silva, próximo à rotatória de acesso à Mina Cauê, no bairro Campestre, nova etapa das obras de ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA) Gatos. Os trabalhos tiveram início na última semana.

De acordo com o secretário municipal de Obras, Ronaldo Pires Lott, “iniciamos uma escavação no local, que corresponde a mais uma parte das obras que trarão mais água para o município”. Ainda segundo ele, como os trabalhos já haviam começado no trecho depois da rotatória –  sentido Itabira/Santa Maria – é necessário que os motoristas fiquem atentos, “já que neste local (rotatória) a circulação de veículos é mais restrita e o trânsito está interrompido em meia pista”. O secretário de Obras destacou também, que a conclusão desta fase está prevista para as próximas “duas ou três semanas, dependendo das chuvas”.

Andamento

A Prefeitura executa diversas obras de melhoria para solucionar os problemas do abastecimento de água em Itabira. Além da construção da Unidade de Tratamento de Resíduos (UTR) da ETA Pureza, concluída no último mês de setembro, a obra de ampliação da captação de água da barragem Santana (Ribeirão Girau) será concluída no próximo ano.

Segundo Ronaldo Lott, “aumentar a captação de água da barragem Santana é a grande obra que estamos fazendo, já que vai duplicar a capacidade da ETA Gatos”. A captação de água do Ribeirão Girau irá injetar mais 100 litros por segundo (l/s) no abastecimento de água tratada do município.

Também está em fase de conclusão, como informou o secretário de Obras, a construção do reservatório de água no bairro Alto dos Pinheiros – com capacidade para 2,6 milhões de litros – que será abastecido com a água tratada da ETA Gatos. “Com isso, a população dos bairros Campestre, Bela Vista, Nova Vista, Eldorado e São Francisco não sofrerá mais com a falta de água. Mesmo no período de estiagem, o abastecimento será normal nesta região”, disse. O secretário também explicou que “todas estas medidas vão resolver o problema em curto prazo, ou seja, para que nos próximos três ou quatro anos não falte água na cidade”. Para uma solução a longo prazo, segundo ele, “estamos desenvolvendo estudos para a captação de água do rio Tanque, que resolverá o problema para os próximos 30 ou 40 anos”.

Defato Online